Arquivo da categoria: Uncategorized

Coisas

Padrão

1. Três dias de muito sol no Guarujá. Litros e litros de protetor solar em ombros, costas, braços, rosto. Faltou na canela. Pra que protetor na canela? Vocês não fazem IDEIA de como estou com as canelas ardendo. Pode rir.

2. Prova pro professor do estado de São Paulo hoje. Melhor definição da prova, comentada por uma menina do meu lado: “é só você ver tudo o que as escolas do estado fazem, e responder o contrário”. É o que eu sempre chamo de “Fantástico Mundo dos Pedagogos”: Crianças ideais, escolas ideias, salários ideais, sociedades ideais… 

Image

 

3. Vários cursos online gratuitos da FGV aqui. Me inscrevi no de Filosofia. Se eu der conta, passo pro de Sociologia, depois pro de Era Vargas…

 

Uma gastrite pra chamar de minha

Padrão

Dores de estômago. Depois de um ano, visita ao médico. Diagnóstico: gastrite. Daí que ele me dá uma listinha muito fofa do que devo evitar. Segue cópia:

frituras, chocolates, café puro, chá preto e mate, refrigerantes, doces, açúcar, bebidas alcoólicas, carnes gordas, frutas ácidas (mesmo o suco), tomate (incluindo o molho), condimentos (mostarda, ketchup, pimenta), bolachas recheadas.

E daí eu me pergunto se não dá mesmo, sei lá, pra conviver com essa tal de gastrite…

“O” bolo de fubá com queijo

Padrão

A receita é simples, minha vó faz de olho fechado. O dela fica com uma separação entre a massa e o queijo que parece que o bolo está cru, mas na verdade está perfeito. O meu, ainda não. Quem sabe atinjo esse nível antes dos 70 anos? Veremos. Vou compartilhar a receita, porque vai que alguém é apaixonado por esse bolo como eu. Pra ficar básico igual o meu, é tranquilo; pra ficar power igual o dela serão décadas de treino, jovem padawan.

2 xícaras de açúcar;

1 e 1/2 xícara de fubá peneirado;

1 e 1/2 colher de sopa de farinha de trigo peneirada;

2 colheres de sopa de manteiga;

3 gemas;

1 colher de sopa de fermento peneirado;

4 xícaras de leite;

raspas de limão (opcional);

2 colheres cheias de queijo ralado (a medida da minha vó era ‘um PIRES’. Sério. Daí fui ter uma conversa séria com ela sobre o que diabos é essa medida de um pires (fiz uma vez com essa medida, quase um saquinho inteiro de queijo ralado. Já comeu pamonha? Então). Chegamos ao consenso de duas colheres. Compre do de saquinho mesmo. Se ralar em casa vai ficar muito mole também – é, eu também já tentei.

– Bata manteiga, açúcar, gemas;

-misture fubá. farinha de trigo e fermento;

– coloque o leite, o queijo e as raspas; (vai ficar muito líquido e você vai achar que fez merda. Vai por mim, vai dar certo – i hope so)

– unte uma assadeira e asse por pelo menos 30 minutos.

E copiando a receita percebi que da última vez troquei as colheres de farinha por XÍCARAS de farinha. Bem que ficou um pouco seco.

Acho que o nome desse bolo poderia ser ‘Encantado’. Só acho.