Arquivo mensal: agosto 2013

Tolerância e respeito, cadê?

Padrão

Quando os ateus ficam tão babacas quanto os radicais religiosos.

Pra quem já estourou os limites do FSP, segue trecho:

Tuíte de ativista ateu causa revolta entre muçulmanos

O biólogo britânico Richard Dawkins, autor de “Deus, um Delírio” (Companhia das Letras), é desde ontem alvo de crítica por ter afirmado, em sua conta no Twitter, que há menos prêmios Nobel entre muçulmanos do que no Trinity College, de Cambridge.

Há 32 prêmios Nobel no Trinity College, em comparação com os 10 recebidos por muçulmanos. O Brasil, por sua vez, não tem premiados.

Usuários da rede de microblogs e a mídia britânica discutem se Dawkins foi racista ou islamofóbico.

“Muçulmanos não são uma raça”, comentou o biólogo, posteriormente. “O que eles têm em comum é a religião. Vocês preferem que eu compare com os judeus?”

Procurado pela reportagem por meio de sua assessoria de imprensa, Dawkins não comentou esse episódio.

“Você está comparando uma instituição acadêmica especializada com um grupo escolhido arbitrariamente”, escreveu a sudanesa Nesrine Malik no diário “Guardian”.

Dawkins tem repetido que estava apenas se referindo a fatos e que, como tal, não pode ter sido preconceituoso.

“Ele teria tuitado outro fato, o de que Trinity também tem duas vezes mais Nobel que todas as pessoas negras somadas?”, pergunta Tom Chivers, no “Telegraph”.

O biólogo também está sendo criticado por ter afirmado que muçulmanos, apesar de não ter um número alto de prêmios, “fizeram ótimas coisas na Idade Média”.

Os países islâmicos eram, à época, um expoente científico no mundo, com nomes como Avicena e Averróis.

“Muçulmanos [nos deram] alquimia e álgebra. De fato. Onde nós estaríamos sem alquimia?”, ironizou o biólogo.”

Aprendi em matemática que, quando comparamos dois fatores ou fazemos qualquer equação, devemos utilizar a mesma medida. Como diz minha aluna, “só acho”.

Image

Anúncios

VÉI!

Vídeo

Essa voz e essa banda existem?!
De acordo com o post do Supremas, eles são “Jessy Carolina e sua banda The Hot Mess. A voz dessa menina parece que passou anos guardada em uma dessas cápsulas do tempo. ” A descrição não podia ser mais perfeita.
“Eles são todos de NY e se apresentam como ‘especialistas em música americana de 1800-1930, principalmente jazz e blues.'”
Vi aqui http://www.supremas.com.br/inspiracao-musical/