O blefe da academia

Padrão

Minha nossa! Texto muito honesto do Alex Castro 

 

“Quando o aluno chega no mestrado, ele se sente afogado por tanta erudição. Por tanta gente culta vomitando teorias e petiscando autores. Por tantas referências que mal consegue acompanhar.

Sou o maior blefador do mundo, ele pensa. Que direito tenho de estar aqui?

Durante meses e anos, ele blefa e blefa e blefa, cada vez mais eficientemente. Quando tem que dar uma aula sobre Foucault, vira a noite lendo trocentos artigos sobre Foucault, para que ninguém perceba que não sabe nada, NADA sobre Foucault.

E sempre com medo que, algum dia, de repente, quando menos se espera, será desmascarado como o blefador que é. Que todos vão perceber que é o único que nunca leu Kant e Hegel de cabo a rabo. Que não é NADA!

Até que um dia vem a iluminação: ninguém leu Kant e Hegel de cabo a rabo. Ninguém sabe realmente do que está falando.

Entender de Foucault nada mais é do que virar várias noites lendo Foucault para que ninguém perceba que você não sabe nada de Foucault”.

 

Deixarei de ser um blefe, algum dia?

Anúncios

Uma resposta »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s