Arquivo mensal: junho 2012

Bancos e Cartões

Padrão

Antes de ir pra Europa uma amiga sugeriu fazer o Cartão Visa Travel no Banco do Brasil. é um cartão que se faz sem custo, coloca-se os euros, e vai-se feliz com um cartão de débito pra Europa, sem as taxas absurdas de se usar um cartão do Brasil por lá. Que sonho, que lindo, que maravilha né? Atenção que nem tudo são flores (pelo contrário!) nesse cartãozinho maravilha…

1) Se você for pra uma viagem de, sei lá, duas semanas com tudo planejadinho, passagens compradas e tal, não terá o problema que eu tive: não se compra pela internet com esse cartão! Terá que recorrer ao cartão do Brasil, com taxas gigantes, se quiser comprar alguma coisa pela internet.

2) Ele é aceito em muitos lugares mas, pelo menos em Portugal, em MUITOS ele também não é aceito. Simples assim. Daí que você vai ter que procurar um caixa eletrônico Multibanco pra sacar (esses caixas tem em muitos lugares) e  cai em nova taxa (ah, em Barcelona eu não sei se ele é mais aceito por motivos óbvios, vide post abaixo);

3) 2 euros por saque. Mais de 5 reais por saque, bebê! E no máximo 200 euros por saque (praqueles que se acharem espertinhos e quiserem tirar uma grana de uma vez pra evitar a taxa);

4) 50 reais por recarga! hahaha essa foi a melhor! Achei que pagaria essa taxa só pela adesão ao cartão mas, que nada! Qualquer recarga tem essa taxa linda. E só com procuração qualquer pessoa da sua família pode DEPOSITAR dinheiro pra você tá? Porque, sei lá, vai que você NÃO QUER O DINHEIRO?!

5) Daí que você acha uma super vantagem ter um cartão como esse porque pelo menos ele vem com um cartão reserva, não é? Eu achei também, até ser roubada e os MEUS DOIS CARTÕES SEREM CANCELADOS PORQUE EU NÃO SABIA DIZER O NÚMERO DO CARTÃO QUE FOI ROUBADO! Excesso de caps lock? Não quando você passa por isso, amigo! Você na delegacia de outro país, tendo que ouvir uma atendente mal educada do outro lado da linha te dizer que “como assim você não sabe o número do cartão que foi roubado?” Porque né, faz todo sentido eu embarcar com os dois cartões pra uma viagem de três dias, ou sei lá, saber de cor o número de todos os meus cartões.

6) Na volta, depois de passar a última semana vivendo de dinheiro emprestado, não só não poder transferir diretamente os euros que sobraram nesse cartão pra amiga que me salvou em Barcelona (“porque não tem como fazer transferência desse cartão”), como também ter que PAGAR UMA TAXA pro banco do Brasil COMPRAR meus euros! E lá se vão mais 50 reais!

Na boa, amiguinhos?! Maior FURADA esse Visa Travel! Fiquem longe desse cartão. Fiquem longe do BANCO DO BRASIL! Mas se não puderem, como eu, pelo menos não arrumem mais dor de cabeça com ele. Levem o dinheiro na meia, mas evitem esse cartão. 

mimimi, classe média sofre? Nem ligo! Passei o maior aperto e não foi graças aos bancos (e incluo o Santander na parada que, embora a Mastercard tentasse me ajudar, o Santander atrapalhava!) que consegui pelo menos curtir alguns lugares em Barcelona e passar os dias restantes em Lisboa. A-M-I-G-OS fizeram isso e, óbvio que eu já sabia, bancos não são amigos.

Anúncios

Barcelona

Padrão

Uau, Barcelonaaaa!! Desço na Praça da Catalunha, sinto alguém andando muito perto de mim, olho pra trás e… BOLSA ABERTA, FUI FURTADA. Pois é, essa foi minha primeira impressão de Barcelona.

Segundos, pipou, segundos foram suficientes pra ir do céu ao inferno e ter que enfrentar a delegacia e, muito pior, o atendimento dos meus bancos pra cancelar cartões e tentar um saque emergencial em algum lugar (isso era domingo; consegui fazer o tal saque na SEXTA, 4 horas antes de ir para o aeroporto de volta ao Brasil, já em Lisboa. Pensa em alguém com raiva de banco). Nesse dia tudo aconteceu: desde ataque de tarado inglês num barzinho até aquela cena bem de filme de comédia, quando um carro passa e joga água de chuva nas nossas (únicas!) calças.

Image

tava querendo mesmo me molhar depois de tuuudo o que aconteceu. Brigada, lindo 

Barcelona tinha 48 horas pra tirar a impressão mais do que ruim do primeiro dia. E foi uma pena não ter mais, sei lá, um mês pra conhecer aquela cidade. Porque depois que eu desisti de me estressar com os bancos (Santander, bjo e não me liga!) eu fui conhecer os lugares bem turísticos mesmo – não dá pra fugir disso tendo 48 horas, uma pena – e me encantei. Sagrada Família, Parque Güell, Porto Velho, Montjuïc… foram lugares fascinantes! E a noite na Rambla, e os cafés da manhã no mercado La Boqueria!

Image

Sem contar a apresentação de Flamenco, tão curta como o meu dinheiro (emprestado)  na última noite de Barcelona, mas com uma energia que nossa! Impressionante!

Image

É isso! Posso até ser roubada que Barcelona ainda sim conseguiu me conquistar. Conhecer essa cidade sempre foi um grande sonho e eu faria tudo de novo! Da próxima tento ficar uma semana pra ir a praia 😉

Image

Affe

Padrão

O blog ficou parado porque, entre conclusão do estágio, viagem dos sonhos para Barcelona (e pesadelo porque fui furtada lá) e preparativos pra volta, além da ansiedade monstra de voltar e ver minha família e meu namorado lindo, não vai dar pra elaborar nada por enquanto. Meus dois leitores, aguardem os próximos capítulos! 🙂